Vários objetos parecem que tem uma personalidade própria, um rosto, uma face olhando pra você! Alguns não são muitos obvios, mas outros tornam até difícil ver o objeto e não encontrar uma face.

Rostos em objetos

Esta capacidade de reconhecimento de rostos é muito importante em nossa vida, e vem sendo aprimorada a cada geração. Os bebês tem uma capacidade limitada de reconhecer faces nos primeiros meses de vida, reconhecendo apenas parcialmente os contornos do rosto da mãe. Após o terceiro mês de vida é que o reconhecimento facial fica melhor. Existe inclusive uma parte da vida em que os bebês estão aprendendo a detectar quando há algum rosto no que estão vendo. Nesta fase da vida é que aprimoramos essa incrível habilidade de encontrar um rosto onde exista um… ou onde não existe!

Dá uma olhada nas imagens:

Faces em objetos

Que casa desconfiada, não? (Foto: divulgação)

Faces em objetos

A felicidade de um grande nariz! (Foto: divulgação)

Faces em objetos

Por que a tristeza, amiguinho? (Foto: divulgação)

Faces em objetos

Desconfiança em forma de janelas! (Foto: divulgação)

Faces em objetos

Arigatô! Sayonara! Colé, véio…opa, errei a língua! (Foto: divulgação)

Faces em objetos

Meus conectores ficam todos tristes, porque estragam com demasiada frequência. (Foto: divulgação)

Faces em objetos

Angry Birds! Não mais: Angry caixa de correio! (Foto: divulgação)

Faces em objetos

Por que essa felicidade, tomadas? Vocês serão substituídas pelas tomadas de 3 pinos em breve! (Foto: divulgação)

Faces em objetos

Não acredito que você vair sair com esse sapato de novo! Disse a bolsa, incrédula, para sua dona. (Foto: divulgação)

Faces em objetos

Quem é você? O que está fazendo aqui? Não, ninguém quer falar com você. (Foto: divulgação)

Faces em objetos

Safadinho você, hein? (Foto: divulgação)

Faces em objetos

Estou fugindo. De quem? Do entupimento causado pelo lixo. (Foto: divulgação)

Faces em objetos

Você me traiu! Como pode fazer isso comigo? Estou pasmo! – Acho que é isso que essa casa, com dois chifres, está pensando. (Foto: divulgação)

Faces em objetos

A meta de emagrecer esse ano é fechar a boca! (Foto: divulgação)

Faces em objetos

Mim não gostar de cara pálida. Mim ter piercing radical no meio da cara! (Foto: divulgação)

Faces em objetos

Parece um cachorrinho, não? (Foto: divulgação)

As imagens acima são todas exemplos de objetos que, com pouco ou algum esforço exibem algo que se pareça com um rosto. Nos dias atuais não podemos deixar de considerar a influência dos desenhos animados e filmes nesta capacidade de abstrair o que possa ser um rosto. Se até o Plâncton do Bob Esponja e o Mike (o olho verde) de Monstros S.A. são um rosto amigável, o que dizer das faces dos objetos acima? Ou será que tudo isso é apenas mais uma ilusão de ótica?