O Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM, foi criado com o objetivo inicial de avaliar o desempenho dos alunos oriundos do Ensino Médio brasileiro. Com o tempo, a prova foi evoluindo e seu propósito inicial de apenas avaliar o ensino médio também. A prova foi além e hoje é usada na maioria do Brasil como forma de ingresso no ensino superior.

Quando o ENEM virou vestibular?

Esta tendência começou com planos do governo de ingresso em universidades privadas, que usavam a nota do ENEM como forma de aceitar ou não alunos ou para os programas de financiamento do Governo. Com o tempo, o projeto foi se expandindo e a ideia foi colocar o ENEM em todas as universidades do Brasil, incluindo as públicas. Algumas, usam o ENEM como prova da primeira fase. Outras, integram o ENEM em seus vestibulares seriados. Assim, pouco a pouco o ENEM foi entrando no cotidiano do estudante brasileiro até adquirir toda importância que tem hoje, inclusive por ser um dos critérios para o acesso ao financiamento estudantil do Governo.

Os problemas do ENEM

Como tudo quase tudo que é grande demais, há uma tendência em aparecer problemas quando estamos falando de larga escala. São milhões de estudantes ao redor do Brasil e o MEC está aprendendo constantemente com seus erros e acertos durante o ENEM.

Já houve problemas com provas extraviadas, impressão de provas, site com lentidão para a inscrição, problemas com a correção da redação e muito mais. E a cada ano, surgem cada vez menos problemas e o ENEM vai se aperfeiçoando como uma boa forma de avaliação e análise não apenas dos alunos do ensino médio, mas também de todos aqueles que querem ingressar nas universidades brasileiras.

Quais faculdades usam a nota do ENEM?

O Sistema de Seleção Unificada, ou SISU, é um banco de dados com todas as universidades públicas que aceitam o ENEM como forma de avaliar seus alunos. Porém, algumas universidades aceitam o ENEM mas não aderem ao SISU. No site Brasil Escola há uma lista bem completa com as instituições de ensino superior públicas que aceitam o ENEM total ou parcialmente e que participam ou não do SISU.

Dentro do SISU, vale lembrar que você só precisa da sua nota do ENEM para entrar na vaga disponível para o curso, e não será necessária nenhuma outra prova além da nota do ENEM. Sua nota é usada como classificação para a vaga.

ENEM nas faculdades e universidades

O ENEM é aceito em praticamente todo o Brasil e em praticamente todas as instituições de ensino brasileiras. A tendência é que mais faculdades e universidades aceitem o ENEM com o passar do tempo. (Foto: enem.net)

Para financiamentos e bolsas em instituições particulares

Para faculdades e universidades particulares, existe o Prouni. Este é um programa do Ministério da Educação que fornece bolsas de estudos integrais e parciais (até 50%) em instituições privadas de ensino superior a estudantes brasileiros, sem diploma de nível superior. Porém, podem participar do Prouni:

  • Egressos do ensino médio da rede pública ou da rede particular na condição de bolsistas integrais da própria escola;
  • Estudantes com deficiência;
  • Professores da rede pública de ensino do quadro permanente que concorrerem a cursos de licenciatura, sem necessidade de comprovar renda.

Para concorrer às bolsas integrais, o candidato deve comprovar renda bruta familiar, por pessoa, de até um salário mínimo e meio. Para as bolsas parciais (50%), a renda bruta familiar deve ser de até três salários mínimos por pessoa. Ou seja, é uma oportunidade limitada, mas não deixa de existir.

De forma parecida que o SISU, o Prouni disponibiliza em seu site principal formas para o ingresso nas instituições particulares de ensino superior. Sua nota é um dos critérios de seleção para o ingresso, e você pode ter que ficar um tempo em uma fila de espera para a bolsa. No mesmo site, você encontra também a lista de faculdades, universidades e cursos oferecidos pelo Prouni.

Por último, temos o FIES. Este é o Fundo de Financiamento Estudantil. Ele é um programa do Ministério da Educação destinado a financiar a graduação na educação superior de estudantes matriculados em instituições não gratuitas. Podem recorrer ao financiamento os estudantes matriculados em cursos superiores que tenham boa pontuação no ENEM. É um empréstimo, só que com condições melhores para o aprendizado. De acordo com sua nota e outros critérios, o estudante por obter uma bolsa integral ou parcial de seu curso, pagando apenas R$50,00 a cada três meses durante o curso e só depois de completar o curso que ele começa a pagar o financiamento em si. Até mesmo bolsistas do Prouni podem usar o FIES para financiar a parte do Prouni que não foi aceita como Bolsa. No site do FIES existe uma lista de instituições que o aceitam para pagar os cursos.

Tanto no Prouni quanto no FIES, o ENEM não é usado como uma prova de vestibular, mas sim, como critério para a participação nos financiamentos.

Considerações finais

Cada universidade adota a nota do ENEM de forma diferente. Vale do interessado uma pesquisa nos editais dos vestibulares dos cursos que te interessam para entender como as notas irão funcionar. É um tempinho investido que vale a pena. Neste artigo, cobrimos apenas um básico.

Ficou alguma dúvida sobre o ENEM? Querem saber mais sobre esta prova? Deixem suas perguntas, dúvidas e sugestões nos comentários!