Um dos principais meios de rastrear a posição de objetos no ar, no espaço e no mar é através dos radares. Este é um sistema que evoluiu antes da Segunda Guerra Mundial e tem sido constantemente aperfeiçoado desde então.

O que é um Radar?

A palavra Radar é uma sida para Radio Detection And Ranging (Detecção e Telemetria por Rádio) e, em sua forma mais simples, consiste em um sinal de rádio transmitido destinado a uma antena em uma direção particular, e um receptor que detecta os ecos quaisquer em objetos no caminho do sinal.

Como funciona um radar?

O transmissor é constituído por um circuito eletrônico que oscila em uma frequência específica, geralmente muito maior do que as frequências utilizadas para transmissões de rádio ou TV.

Este sinal é enviado em rajadas curtas de energia eletromagnética, chamados impulsos, através da antena, que produz um feixe estreito, como o de uma tocha. O radar torna possível determinar a direção de um objeto ou alvo, com base na direção para onde a antena está virada.

A distância ao alvo é determinado a partir do tempo entre a transmissão do impulso e receber o eco do sinal. Isto pode ser determinado com precisão, porque o sinal de radar viaja à velocidade da luz, que é constante.

 

Funções de um radar

O radar hoje tem várias utilidades, não apenas detectar alvos. Ele pode também detectar a velocidade de objetos, a localização exata, e a direção para onde vão. (Foto: www.vadatech.com)

 

Funções do radar

No mundo atual, o uso mais comum do radar que conhecemos é o radar de velocidade que encontramos nas estradas, capazes de detectar a velocidade dos veículos.

Outro uso comum dos radares é no controle de tráfego aéreo, para detectar aeronaves, orientando pilotos para direções de pouso, manobras evasivas, direções de decolagem, ou mesmo para indicar que alguma aeronave está invadindo o espaço aéreo sem autorização do controle de tráfego. Radares marinhos fazem o mesmo, só que entre navios, para evitar colisões e controlar a distância entre as embarcações.

Meteorologistas usam radares para monitorar a precipitação e os ventos, usado na previsão do tempo. Geólogos usam radares especiais para mapear a composição de terrenos e do solo.

 

Limites de um radar

A maioria das pessoas já ouviu a expressão “voar abaixo do radar”. Este fenômeno é causado pela interação do feixe de um radar com o solo, o que resulta em um leve desvio no feixe. Se a aeronave está a voar suficientemente baixo, o feixe dificilmente “acerta” a aeronave e consequentemente, não consegue detectá-la.

Também existem limites à distância sobre a qual o radar pode ser usado. O principal problema com o radar na operação de longa distância é o fato de que a quantidade de energia requerida para enviar e receber o sinal aumenta consideravelmente de acordo com a distância que você quer que um radar funcione.

Outra limitação a radar de longo alcance é causada pela interferência causa pela atmosfera, mesmo no tempo bom, mas pior durante as chuvas.

Certas tecnologias também consegues tornar objetos invisíveis aos radares, anulando os sinais enviados pelo radar para serem “ecoados”.

Agora, não vai achar que aqueles produtos milagrosos conseguirão salvar você do radar de ruas e estradas não. A tecnologia para evitar os radares custa bilhões, e é usada só para fins militares. pode tirar o cavalinho da chuva.

Gostaram de saber essas curiosidades sobre o radar? Deixem seus comentários sobre esse artigo no espaço abaixo! Queremos saber sua opinião!