Quando você mantém informações em sua mente por qualquer período de tempo, você está envolvendo o que os neurocientistas cognitivos chamam de Memória de Trabalho. Alguns exemplos comuns são ter que se lembrar de um número de telefone entre o momento de audição e discagem, ou lembrar as instruções de condução enquanto procura por marcos específicos como placas, construções, entre outras referências. Em situações como essas, você não precisa apenas manter certas informações frescas e preparadas em sua mente, mas também trabalhar com elas no contexto do mundo real.

Porém, a memória de trabalho também não é apenas para instruções básicas. A última vez que você escreveu algo, a memória de trabalho é o que permitiu que você mantivesse a informação que você absorveu durante sua pesquisa e, em seguida, escolhesse o que melhor se adaptava ao que você escrevia.

Nossa memória de trabalho torna-se como um quadro-negro em seu cérebro onde você mantém informações relevantes enquanto você a está usando. O problema é que a memória de trabalho só pode armazenar uma quantidade finita de informações ao mesmo tempo. E constantemente está sendo bombardeada por novos pensamentos e experiências sensoriais, tentando assumir o lugar de seus pensamentos focados. Existem, no entanto, algumas maneiras de aumentar sua capacidade de memória de trabalho.

Elementos da memória de trabalho: loop fonológico

Quando a informação é ouvida, nós a transformamos em um “código” baseado em som. Então, para evitar que esta informação se desintegre, ensaiamos ativamente o código “falando” com a voz da nossa mente e “ouvindo” com a orelha da mente em um loop contínuo, como uma caixa de eco interna.

Mas as coisas caem fora do loop rapidamente, e é por isso que as sequências mais longas são mais difíceis de lembrar. À medida que chegamos ao final da seqüência, os primeiros itens geralmente já foram. Em média, a maioria das pessoas só pode armazenar 7 itens de informações em sua memória de trabalho ao mesmo tempo

Portanto, é uma boa prática usar esse loop para que sua memória de trabalho tenha a prática de uso e que esse processo se torne mais automático e dinâmico para a memorização de itens importantes.

Memória de trabalho

Uma memória de trabalho funcionando bem possibilita a execução de tarefas de maneira mais fácil e com muito mais eficiência. (Foto: SciTech Connect Elsevier)

O elemento visuoespacial da memória de trabalho

Imagine em sua mente um quarto que você conhece bem (pode ser mesmo aquele em que você está). Agora feche seus olhos e nomeie os objetos ao longo da parede da esquerda para a direita.

Ao olhar ao redor do espaço usando a mente, você está engajando o esboço visuoespacial que é a parte da memória funcional que permite que você desenvolva, inspecione e navegue através de uma imagem mental.

Enquanto o loop fonológico lida com sons e comandos verbais, esse !caderninho! está preocupado com a memória visual. é um bom exercício praticar lembrar de imagens e objetos de um lugar sem ter uma referência visual no momento.

O buffer episódico da memória de trabalho

O chamado buffer episódico está dedicado a ligar informações e a formar unidades integradas de informações visuais, espaciais e verbais com sequenciação de tempo. É o que nos permite rapidamente lembrar as tramas de romances ou filmes, ou colocar grandes pedaços de dados no contexto. É um bom exercício tentar lembrar e até escrever a ordem em que certos fatos ocorreram para poder praticar a organização com esse tipo de memória.

O controle executivo: trazendo tudo para funcionar junto

O controle executivo é um sistema que liga todo o conjunto e determina quais informações são mantidas e qual elemento deve entrar na memória de trabalho. O controle executivo também integra e coordena informações nos três elementos (fonológico, visuoespacial, e episódico) e, o mais importante, fornece um espaço onde as informações podem ser trabalhadas e manipuladas. É através do controle executivo que consegue-se construir o trabalho na memória.

Treinar memória de trabalho

Memória de trabalho é uma das funções cognitivas mais importantes que temos. Isso nos ajuda com tudo, desde o aprendizado do alfabeto até a compreensão das situações sociais, a priorização de múltiplas atividades e cumprimento dos prazos.

A memória de trabalho já mostrou ser um indicador melhor do que o QI para o sucesso acadêmico futuro, com 98% das crianças com pouca memória de trabalho mostrando pontuações muito baixas em testes padronizados de compreensão, matemática, e leitura. E para aumentar a memória de trabalho, alguns treinamentos e mudanças no estilo de vida são essenciais para esse trabalho.

Reduza o estresse na sua vida

Cada vez mais, estudos mostraram que o estresse pode ter um impacto negativo na nossa memória de trabalho. Quanto mais estresse na vida de alguém, menor a eficiência da memória funcional na realização de tarefas cognitivas simples.  É um ciclo frustrante perder o foco e não conseguir terminar um projeto no tempo, o que cria estresse que, por sua vez, diminui a nossa capacidade de recuperar e manter o foco. Uma maneira que demonstrou ajudar-nos a sair deste ciclo, no entanto, é tornar-se mais consciente. Quando você começa a sentir pensamentos indesejados na sua cabeça, tire um momento para respirar e esvaziar a cabeça, mesmo que seja por apenas alguns minutos. Isso irá ajudá-lo a recuperar sua compostura e controlar seu foco quando retornar ao seu trabalho.

Exercícios para memória de trabalho

A memória de trabalho também pode ser aumentada pelos exercícios de alta intensidade. Enquanto a capacidade de memória de trabalho diminui durante e imediatamente após exercícios intensos, ela aumenta após um curto período de recuperação em comparação com aqueles que não se exercitam. Assim como o exercício pesado é bom para aumentar seu desempenho mental geral, ele também pode aumentar sua capacidade de memória de trabalho.

Atividades para memória de trabalho incluem a música

A memória de trabalho pode ser aprimorada através da exposição ao excesso de ativação neural. Quanto mais praticamos uma certa habilidade, maior a área do cérebro ativada por esse tipo particular de experiência sensorial. Por exemplo, a área do cérebro ativada pelo som de um violão será maior em uma pessoa que toca frequentemente do que em uma pessoa que não toca nada. Não só você será capaz de manter mais informações em sua memória de trabalho, como praticar sua nova habilidade também pode ajudá-lo a ignorar as distrações e a permanecer focado, que são os benefícios que vão se transferir para outras tarefas.

É importante notar que, como muitas partes do funcionamento interno do nosso cérebro, a memória de trabalho ainda é um campo que não compreendemos completamente e que possui relacionamentos com uma multiplicidade de diferentes tarefas cognitivas. O que sabemos é que o nosso cérebro tem uma capacidade limitada para manter a informação durante uma tarefa e tem dificuldade em desviar distrações.

No final, o que quer que possamos fazer para aumentar essa capacidade, seja se exercitando vigorosamente, aprendendo uma nova habilidade ou praticando técnicas de atenção plena, tudo nos ajuda a manter o foco e acalma todos os outros milhões de coisas tentando tirar nossa atenção.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas. Estamos aqui para ajudar!