Esses filminhos são muito engraçados, mas instrutivos também caso sejam exibidos no contexto correto e após algum tipo de explicação. Estão ironizando a banalização da violência que ocorre no Brasil (isso.. ocorre tanto a banalização quanto a violência).

São até usados em escolas e devem ser mais ainda depois que a polícia “invadiu”  favelas no Rio. A chamada pacificação que a mídia tenta mostrar como sendo a salvação das comunidades não é bem isto que parece. Continuam ocorrendo os mesmos problemas que ocorriam antes mas agora a cobertura e a atenção da mídia tem um foco diferente.

Quase todo tipo de situação que ocorre no Brasil acaba virando piada ou motivo de gozação de alguma maneira. Mesmo os políticos em suas intermináveis falcatruas em Brasília eram objeto constante de chacota pela equipe do antigo Casseta e Planeta, ainda quando o Bussunda estava entre nós. Humoristas de qualidade sempre existirão e digo isso em relação a qualquer tipo de humor, seja ele inteligente ou pastelão. Criar um vídeo como estes dois mostrados abaixo é uma tarefa nada simples, pergunte para qualquer que já tentou fazer uma gravação parecer profissional. Os atores também tiveram uma participação crucial para que a mensagem pudesse ser passada de forma bem direta.

Este humor comprometido é do tipo que mais gosto e que acredito que tem finalidade diferente de apenas divertir ou fazer rir. Permite conscientizar e por se tornar logo viral nas redes sociais e de compartilhamento de vídeos faz a mensagem chegar a um número ainda maior de pessoas. Ao publicar este artigo estou certamente fazendo parte desta divulgação. Assista ao vídeo e pense um pouco na situação desconsiderando a parte engraçada do mesmo. Não é estranho que possamos passar por isso sem se colocar na pele dos personagens, especialmente o que foi vitimado? Porque consideramos isto como parte normal da sociedade? Será porque achamos que não pode ocorrer conosco? Ria, mas reflita sobre o que está por trás de algo que você já considera comum. Deve ser assim mesmo?

E neste outro… um tema ainda mais polêmico!