Você pode passar um bom tempo no exterior através de um intercâmbio, aprendendo uma nova cultura, um novo idioma. Quando você fica mais velho, porém, o intercâmbio parece ser uma possibilidade difícil.

Muitas pessoas estão voltando aos estudos após os 50, realizando sonhos pessoais após você ter construído uma família, feito sua carreira, ou mesmo para se recolocar no mercado de trabalho. O intercâmbio é uma grande oportunidade para esse aprendizado ou para novas oportunidades, e mesmo quem tem 50 anos pode encontrar um programa de intercâmbio para aprendizado.

Intercâmbio para quem tem mais de 50 anos: como funciona?

Basicamente, várias escolas ao redor do mundo oferecem algum tipo de programa de intercâmbio para quem quer aprender uma língua estrangeira ou para um intercâmbio de trabalho. Funciona através do interessado procurando um intermediador para o intercâmbio no Brasil, ou entrando em contato com uma escola no exterior que tenha um programa de intercâmbio para adultos e específicos para maiores de 50 anos.

Geralmente, esses intercâmbios são mais focados em aspectos culturais do país de destino. Você vai fazer mais passeios turísticos, conhecer outras cidades, interagir com pessoas da mesma idade e de várias nacionalidades. Mas há intercâmbios com trabalhos para quem tem mais de 50 anos, entre outros

Intercâmbio para terceira idade

Dá pra aproveitar bastante um intercâmbio no exterior para a terceira idade, seja para trabalho ou para o aprendizado de uma língua estrangeira. (Foto: www.50emais.com.br)

Intercâmbio para mais velhos: critérios para conseguir

Para conseguir seu intercâmbio para uma cidade no exterior não é necessário muita coisa. Há dois meios principais para conseguir o intercâmbio: através de uma empresa especializada ou por conta própria, entrando em contato com as escolas ou empresas no exterior para começar seu curso de intercâmbio ou seu trabalho. Em alguns casos, você pode encontrar instituições e organizações mundiais, bem como ONGs, que fazem programas de intercâmbio para quem quer trabalhar como voluntário no exterior e ter uma oportunidade de aprendizado ou trabalho.

Para programas de trabalho, geralmente será exigido um grau mínimo de qualificação, seja uma graduação técnica ou graduação de ensino superior. Para programas de intercâmbio, geralmente as exigências estão relacionadas ao seu nível de inglês atual, podendo ser necessário fazer um teste para saber qual o tipo de de curso é mais apropriado para você.

Quais tipos de intercâmbio para maiores de 50 anos existem?

Existem dois tipos de programas, como citamos anteriormente: programas de intercâmbio para aprendizado de um idioma estrangeiro e programas de trabalho. Há programas onde o aprendizado de um idioma e o trabalho estão misturados, possibilitando que o aluno estude enquanto trabalha no exterior, colocando o aprendizado em prática de uma forma bem direta, mão na massa.

Quanto custa intercâmbio para quem tem mais de 50 anos?

Intercâmbios que incluam cursos ou o aprendizado de línguas vai custar um valor fixo, que varia de acordo com o nível do curso, o país onde será realizado o curso, se há viagens para outras cidades ou destinos turísticos incluso, se o curso inclui ou não hospedagem e alimentação. Mas tudo isso é pago em um só pacote, O preço pode começar em uma faixa entre 6 salários mínimos e 8 salários mínimos, e só subir de preço a partir daí. Os cursos de intercâmbio são geralmente cobrados em dólares ou euros.

Quem procurar para um intercâmbio para maiores de 50 anos e da terceira idade?

Você pode procurar agências de turismo, mas geralmente elas não vendem esses tipos de pacotes. É mais fácil encontrar empresas especializadas em intercâmbio para um programa de intercâmbio, seja de trabalho ou intercâmbio de estudos. O melhor desses pacotes é que você não precisa se preocupar com os custos de estadia, pois estes geralmente estão inclusos no pacote de intercâmbio.

A segunda forma de intercâmbio é por conta própria. Você precisará procurar a escola do país que você quer visitar, procurar uma empresa para trabalhar lá (para intercâmbios de trabalho), procurar a estadia (se o curso não oferecer), etc. Pode sair mais barato, mas é necessário dedicar mais tempo para pesquisar, encontrar o curso ideal, o local para ficar, etc.

Por fim, intercâmbios através de ONGs e outras organizações geralmente envolvem algum tipo de processo seletivo, tal como seleção de currículos, entrevistas, etc. Alguma instituições exigem que você tenha algum tipo de filiação a elas por algum tempo. É o tipo de intercâmbio com o menor custo, pois geralmente envolve estadia e alimentação, sendo custo do intercambista apenas as passagens em si.

Você conhece algum programa de intercâmbio para terceira idade? Qual? Já fez algum intercâmbio para maiores de 50 anos?