Se você estiver interessado em se tornar um estudante de intercâmbio, existem algumas coisas que você precisa fazer primeiro. Viver e estudar em outro país pode ser uma das experiências mais divertidas e gratificantes, mas é preciso um pouco de pesquisa e esforço para chegar lá

Se você estiver interessado em se tornar um estudante de intercâmbio, a primeira coisa que você deve fazer é pesquisar programas e empresas que oferecem viagens de intercâmbio para o país que você quer. Comece com pesquisas no Google como “programas de ensino médio de intercâmbio para a China”, e você vai obter alguns resultados de agências que fazem o programa para o país desejado.

Certifique-se de atender todos os requisitos de admissão do programa. A maioria das agências exigem que os alunos tenham uma idade mínima ou outros requisitos. Existem programas de intercâmbio religiosos e/ou missionários, que podem ser uma boa opção para quem tem menos recursos e gosta de se envolver com espiritualidade e programas de ajuda filantrópica.

Decida se você quer viajar por um trimestre, um semestre ou um ano letivo completo. Trimestres são frequentemente muito mais baratos, e você pode obter uma “essência” boa de uma cultura por estar lá há por poucos meses (geralmente 2 a 3.) Semestres são geralmente os melhores, porque você não está longe de casa por muito tempo e você normalmente tem tempo suficiente para obter uma grande experiência da cultura, ter algumas aulas interessantes e pagar menos do que anos escolares completos. Anos escolares completos são definitivamente a mais culturalmente estimulante das opções, e você ficar definitivamente terá uma experiência incrível, mas tendo um custo considerável e você ficará longe de casa por um bom tempo (geralmente 9-12 meses).

Intercâmbio na Austrália

Se você é fã de esportes radicais e gosta de explorar ambientes naturais, a Austrália é o destino certo para você! (Foto: wep.org.au)

Depois de encontrar uma agência que parece promissora, busque pelas datas que eles oferecem para as partidas, seus preços e ajuda financeira e mais importante, como eles selecionam as famílias de acolhimento e de como eles vão colocar você fora do país. Busque pesquisar também a opinião de quem usou os serviços da agência pela internet. Talvez, por buscar valores mais baratos, você pode estar entrando em uma roubada.

Encontre os formulários de aplicação no site, preencha-o corretamente e envie-o pelo menos 6 meses antes do prazo para a data que deseja sair. Normalmente, você vai ouvir de volta se você foi aceito ou não pelo programa.

Se você não pode pagar o custo total da taxa de matrícula, solicite porr uma bolsa ou ajuda financeira. Bolsas normalmente são dadas com base em condições financeiras ou desempenho acadêmico. Você também pode fazer a sua parte, conseguindo um emprego (com horários razoáveis) ou uma poupança para o intercâmbio.

Uma vez que todas as datas estiverem em ordem, o seu voo estiver reservado, seus registros estiverem transferidos e sua família foi selecionada, pesquise um pouco mais. Se você souber o nome da escola que você estará indo, pesquise sobre ela online. Dê uma olhada nas aulas disponíveis, atividades extracurriculares e a cidade circundante. Este conhecimento fará de você um pouco menos ansioso quando for hora de sair. Lembre também de pesquisar um pouco sobre o sistema educacional do país de destino para não se surpreender com diferentes metodologias e formas de educar e aprender.

Fale com o seu escritório de orientação da escola sobre quais as aulas obrigatórias que você precisa fazer antes/depois da sua viagem. Normalmente você pode obter crédito para as aulas que você tiver no exterior, mas se ainda há uma aula que você precisa, é necessário que você saiba a equivalência no país para onde está indo.

Intercâmbio para destinos incomuns

Apesar de África do Sul e Turquia serem dois países incomuns como destinos, você pode pensar neles e em outros países africanos ou de influência muçulmana, como forma de diversificar seu conhecimento sobre diferentes culturas. Leve em consideração a condição econômica do país e a estabilidade social, principalmente no que tange a presença ou não de conflitos militares. (Foto: dushanbe.usembassy.gov)

Tome algum conhecimento sobre sua família anfitriã, iniciando algum tipo de contato antes, seja por e-mail, telefone ou até por cartas. Isto tornará muito mais fácil de falar com eles pessoalmente quando você chegar lá e eles não vão parecer tão estranhos à sua presença.

Comece a se arrumar com pelo menos duas semanas de antecedência. Faça uma lista de verificação completa de tudo o que você vai precisar. Não deixe de levar nota fiscal de todos seus aparelhos eletrônicos, ou você terá de pagar por eles quando retornar Como você vai sair por 3-10 meses, você precisa arrumar um monte de coisas. Encontre a maior mala na sua casa (se você não tiver um, pode ser uma boa ideia para comprar uma) e coloque tanto nela quanto você puder. Esteja ciente de quaisquer restrições de peso que a sua companhia aérea tenha para bagagens e embalagens, além das cargas que você pode ou não levar com você. Apenas embale as coisas que você realmente precisa (mas é claro que coisas como livros, revistas, iPods e outros itens que lembram sua casa são muito bem vindos).

Leve uma boa quantidade de dinheiro para gastar. Você vai precisar de um monte enquanto estiver fora do país, e como estará em um país totalmente novo, é melhor prevenir do que remediar quando se trata de dinheiro. Sua família provavelmente só vai lhe fornecer comida e um lugar para ficar e qualquer outra coisa que você pode precisar será de sua responsabilidade conseguir. Você vai querer ter algumas centenas da moeda local e também levar um cartão de crédito para compras maiores. Procure saber com seu banco como receber dinheiro do Brasil lá fora e como esse processo pode ser facilitado por eles.

Para se comunicar, prefira meios online e combine isso por e-mail com sua família daqui assim que chegar no país de destino. Leve em consideração os fuso-horários para a comunicação.

Irlanda

Um destino cada vez mais comum para brasileiros, a Irlanda é um caldeirão de diferentes culturas. (Foto: twoworldsunited.com)

No final das contas, o melhor conselho a seguir é: divirta-se! É uma experiência e tanto o intercâmbio e você deve aproveitá-la ao máximo!

Se você está tendo problemas com sua família anfitriã, não tenha medo de ir para o representante local de sua agência e pedir ajuda ou até a mudança de família.

Abaixo, algumas dicas específicas para os destinos mais comuns de intercambistas:

Dicas de intercâmbio na Austrália

Preste atenção na época em que você irá ficar por lá. O clima Australiano, apesar de muito semelhante ao brasileiro em muitos aspectos, tem extremos muito diferentes dos nossos. Além disso, tenha consciência de que a vida selvagem australiana é muito perigosa, tanto na terra quanto no mar. É um cuidado que parece como piada na internet, mas não é.

Dicas de intercâmbio no Canadá

Prefira fazer um intercâmbio na província de Quebec, onde você terá a oportunidade de aprender tanto o francês quanto o inglês. E se prepare para passar um pouco de frio por lá.

Templo do consumo

Prepare seu bolso: EUA é sinônimo de compras. Portanto, planeje bastante seu intercâmbio para este país. (Foto: commons.wikipedia.org)

Dicas de intercâmbio nos EUA

Prepare-se para viver uma série de surpresas. Primeiro de tudo, nem todos os estados norte americanos são de primeiro mundo. Alguns são tão conservadores que são piores que alguns estados no Brasil. Outra coisa a se levar em conta é que os EUA são um templo do consumismo. Portanto, se prepare para gastar muito mais do que você havia planejado. Lembrando também que a maioridade nos EUA é aos 21 anos. Então se você tem 18 e quer aprontar alguma, tire seu cavalinho da chuva para não correr o risco de ser deportado! E não confie em brasileiros nos EUA: se afaste deles, a não ser que já sejam amigos aqui no Brasil. O afastamento também é bom por motivos acadêmicos: aprender a conviver com pessoas estrangeiras e depender mais do inglês.

Dicas de intercâmbio na Espanha

Ultimamente a Espanha não tem sido uma anfitriã muito boa para brasileiros. É importante que você estude bem a região onde irá ficar para não ter que lidar com pessoas preconceituosas. Talvez, seja melhor optar por um intercâmbio para o México ou outro país falante da língua espanhola atualmente.

Dicas de intercâmbio na Inglaterra e Irlanda

Seja pontual. Tome cuidado com os excessos dos britânicos, principalmente nas baladas alternativas em Londres. Aproveite ambos os países, pois eles são uma grande mistura de diferentes culturas. Esqueça seus pré-conceitos e abra sua mente para conviver nestes dois países com mais qualidade e aproveitar melhor as diferentes culturas.

Dicas de intercâmbio na Itália

Nossos irmãos italianos tem uma cultura muito parecida com a nossa. Só tome cuidado para não exagerar na intimidade e com a falta de educação de alguns italianos. Aproveite e separe um dinheiro para visitar os países vizinhos.

Dicas de intercâmbio na França

O único cuidado que você tem que tomar é saber um pouco de francês um pouco antes da viagem. Alguns franceses são um tanto preconceituosos com outras línguas, o que pode resultar em interações sociais prejudicadas.

Dicas de intercâmbio na Ásia

Falamos aqui de Japão e China, principalmente. A cultura destes países é muito diferente da nossa, principalmente no aspecto japonês de organização e respeito ao próximo e no aspecto de pouco contato físico de ambas culturas. O lado bom é que desenhos, filmes e quadrinhos orientais ajudam a entender melhor como é a cultura destes países, te preparando melhor para encarar um intercâmbio.

E vocês? Quais as dicas vocês dariam para quem vai fazer um intercâmbio?