O tempo que você gasta estudando não é diretamente proporcional ao que você aprende. Isso é muita verdade para aqueles que estão estudando para concursos públicos. Mais tempo estudando não vai ajudar se o caminho que você está seguindo para os estudos é falho, para começar. Um conceito que poucos conhecem, mas que devia nortear a educação de todos nós é a prendizagem holística. Como ela funciona?

Pessoas inteligentes não apenas aprendem melhor. Eles aprendem de maneira diferente. Enquanto muitos estudantes tentam memorizar fatos, os alunos inteligentes sabem pensar fora da caixa e ligar os fatos, ser interdisciplinar, buscar aplicações para o conhecimento fora de onde ele o aprendeu. Esta forma de aprendizado que é chamada de aprendizado holístico.

Aprendizagem holística é basicamente o oposto de memorização. Em vez de recitar listas de fatos, regras ou fórmulas, você procura conectar ideias em conjunto. Em vez de ter caixas separadas em sua cabeça para a álgebra, geometria, ou a história do mundo antigo, você deliberadamente vincula fatos em conjunto, de modo que formem um quadro maior e que interage entre si.

Estudar excessivamente mostra que você não está aprendendo de forma holística. Isso mostra que você não aprendeu a matéria pela primeira vez. Se você ligar devidamente idéias para buscar possíveis relações, o estudo deve ser apenas uma atualização rápida.

Preocupação com estudos

Quanto mais desesperado para estudar você estiver, menos você irá aprender. (Foto: paris-counseling.com)

A aprendizagem holística não é como uma técnica de brainstorming ou de mapeamento mental. Ela está mudando fundamentalmente como você olha para o processo de aprendizagem e como você absorve a informação. Como tal, não é um programa simples de 10 passos para seguir. Porém, existem algumas ferramentas que podem ajudá-lo a mudar seus hábitos de aprendizagem para que se tornem mais holísticos.

Visceralize seu conhecimento. Você provavelmente já ouviu falar em visualizar, certo? Visceralização significa usar todos os seus sentidos e conectá-los à informação. Estudos têm mostrado que as pessoas se lembram mais vividamente a informação que chega até nós em um estado emocionalmente excitado. Ligando sentimentos, sentidos e imagens para idéias brandas tornam elas mais reais. Você provavelmente contou com os dedos quando aprendia números, porque você não pode fazer o mesmo quando você está aprendendo agora? Você vai conectar o momento de hoje para um momento onde aprender era uma grande motivação e provavelmente irá correlacionar os sentimentos.

O coração da aprendizagem holística está em relacionar as coisas. Metáforas são recursos literários que ligam duas coisas que normalmente não andam juntas. Crie metáforas para descrever as idéias mais complicadas em termos mais simples. Busque brincar com as explicações. Seus melhores professores fizeram isso para tornar as informações mais palpáveis.

Explique idéias para você como você faria para um criança de dez anos. Claro, nem sempre isso é possível, como nos últimos anos de um curso de medicina ou aprendendo como aplicar redes neurais em um computador de inteligência artificial. Mas a ideia é que você deve ser capaz de “emburrecer” um conhecimento qualquer o bastante para que ela pareça o mais óbvia possível.

Guarde seus livros e comece com um fato aleatório ou conceito. Em seguida, relacione essa ideia a um outro conceito em seu assunto. Continue fazendo este padrão de rastreamento até que você tenha ligado muitas idéias juntas. A Dinastia Gupta lembra da Grécia antiga, que faz você lembrar de Sócrates, dos primórdios da filosofia, de outros filósofos famosos, como Confúcio e por aí vai. Em uma dessas interações foi que surgiu minha ideia para uma tese de mestrado.

Saúde da mente

Quanto mais descansado estiver seu cérebro, mais fácil ficará para que ele absorva informações. (Foto: ebooks.thehelpster.com)

Busque informações em seu livro texto. Observe sempre que encontrar as informações que você não se lembra ou não tem 100% de certeza. Rapidamente vincule essa informação de volta às idéias existentes através da visceralização e da metáfora. Se a sua busca aparecer mais do que alguns pontos por capítulo, você não aprendeu aquela matéria bem o suficiente.

Nem todas as informações funcionam bem para a aprendizagem holística. Um ponto comum citado por muitos é o aprendizado de anatomia para alunos do primeiro ano de medicina. Anatomia envolve nomes latinos arbitrários para centenas de diferentes elementos do seu corpo. Muitas vezes não há padrões claros e construções, apenas uma lista seca dos fatos. Ao encontrar uma informação como essa, seu objetivo deve ser o de comprimi-la e encontrar maneiras colocar as informações em grupos e em pequenos pedaços de memória através de imagens ou jogos mnemônicos.

Pegue um pedaço de papel e escreva as conexões nas informações. Reorganize a informação em diferentes padrões. A chave aqui é a escrita e não o produto final. Então, não perca seu tempo fazendo uma imagem bonita. Rabisque e use abreviações para vincular as idéias.

Por fim, tente sempre buscar a raiz de uma explicação, a fonte de tudo. Dessa primeira fonte é de onde todo o conhecimento que você estuda em um dado momento foi originado. E entendendo a origem, o que surgiu depois ficará muito mais simples.

Lembre-se de dedicar algum tempo para sua própria diversão. Não adianta nada ficar horas estudando se você não se premiar por isso. Relaxar também é parte essencial de uma boa saúde mental para ter que estudar menos.