Eu tenho alguns bons amigos a quem eu amo até a morte. Eles têm namorados e namoradas que eu também gosto muito e com quem gosto de ter conversas quando estamos todos juntos a jantar ou bebendo. Mas quando se trata de compartilhar experiências de mídia social com os meus amigos, eu não vou fazê-lo se eles decidiram fundir as suas contas com as de seus maridos, esposas, namorados ou namoradas.

Não é nada pessoal. Como eu disse, eu não tenho nada contra os parceiros. Mas conversar com João&MariaParaSempre no Facebook derrota todo o propósito de se manter em contato com uma pessoa através de meios de comunicação sociais. E a verdade é: muitas pessoas pensam que é simplesmente estranho ter um perfil para o casal.

Os perigos de compartilhar DEMAIS a sua vida

Compartilhar demais sua vida online pode funcionar de várias maneiras que não estão limitadas a casais criando uma conta no Facebook. Alguns maridos/esposas e namorados/namoradas compartilham calendários online (o que parece mais conveniente do que estranho para mim), bem como senhas de e-mail e até mesmo contas de e-mail. Casais que fazem isso consideram como parte do processo de “assentamento” em se estabelecer com um parceiro. Eles acham que quando você compartilha uma presença online, você está deixando o mundo saber que você é verdadeiramente sério e comprometido com seu parceiro ou parceira.

Paixão é uma coisa, obsessão é outra

Nós entendemos: você está apaixonado. E é um país livre, então faça o que tu queres. Mas você deve saber que isso pode ser péssimo para o resto de nós. Eu não me sinto livre para postar um comentário específico para o meu amigo sem citar a esposa dele. Parece rude para fazê-lo. Mas eu realmente não tenho nada a dizer para a esposa, e parece estranho fazer isso também. Então, eu geralmente apenas evito postar nas páginas dos amigos grudados completamente.

Perfil conjunto e seus problemas

Ter um perfil conjunto numa rede social pode até parecer bem romântico, até o momento em que você quiser ter sua individualidade de volta. (Foto: socialmediamegapack.com)

A opinião dos outros importa

Com base em uma pesquisa informal que realizei entre os meus amigos no Facebook, muitos dos quais estão bem casados, reuni alguns comentários bem interessantes sobre a prática. Uma amiga já casada há alguns anos disse que o “FB deve ser o lugar onde você se reconectar com amigos e acompanhar com a família. Eu tenho alguns amigos que partilham e eu nunca sei com quem eu estou falando com. Eu tendo a não escrever para eles.”

Outra, que já namora há alguns anos e está prestes a noivar, disse  “Isso me faz pensar sobre o relacionamento deles. Será que não confiam uns nos outros? Será que um fez algo questionável no relacionamento?”. Outro amigo, frustrado, disse “Eu conheço alguém que constantemente posta através da conta Facebook do seu marido, mas nunca sei com quem estou falando, ela ou o marido”.

Outro foi mais direto: “Se eu receber um pedido de uma página casais, eu não aceito isso ou eu nunca mais falo com eles pela rede social porque você nunca sabe com quem está falando e há conversas e conversas. Eu converso o papo x com minha amiga, enquanto o papo com o amigo. Como saber se posso confiar ou se eles não se importam com o que o outro ouve?”

A palavra dos especialistas

Psicologicamente, quando os casais compartilham contas de mídia social, é mais provável que seja um sinal de co-dependência ou insegurança, disse uma terapeuta. É óbvio, há benefícios de compartilhar contas de serviços de streaming de mídias ou lojas. Mas daí para compartilhar um perfil de rede social é muito grande a distância. Essa ideia de compartilhar perfis sociais arremete a uma insegurança adolescente, falta de confiança e até de auto estima, em alguns casos.

Na relação entre um casal, é de suma importância que além dos momentos compartilhados, existam momentos de individualidade para que o casal evolua ao trazer novas experiências e visões para a vida a dois. Um mundo fechado em duas pessoas não é algo saudável. E quando duas pessoas começam a ter sempre as mesmas ideias e objetivos para tudo, alguma coisa com certeza está errada.

Considerações Finais

Não há problemas em compartilhar parte da sua vida como casal. Mas há de se respeitar a individualidade. Pode até ser bonito ter um perfil conjunto para os dois. Eu mesmo já fiz isso quando era adolescente. Mas depois que tudo terminou, aprendi o quão importante é pra mim ter meus momentos comigo mesmo, para me conhecer, curtir a mim mesmo, aproveitar a minha própria companhia. Acho que todos temos a evoluir com isso e melhorar, tanto individualmente quanto como casais.

O que você acha disso? Compartilhem suas opiniões nos comentários abaixo.