A Sociologia tem como objeto o estudo da sociedade, suas organização e os processos que agregam pessoas em grupos específicos, associações e instituições. Ao contrário da Psicologia que estuda o comportamento humano em sua singularidade, a sociologia tem a sociedade como ponto de partida para a compreensão desses fenômenos particulares. A sociedade e as organizações sociais são a premissa necessária se quisermos tratar do ser humano.

O termo Sociologia surgiu pela primeira vez com Auguste Comte no séc. XVIII. Ele pretendia a unificação de todos as áreas do conhecimento relativas ao homem – até este momento a História, a Psicologia e a Economia – e compor uma unidade e uma sistematização semelhante à alcançada nas ciências naturais. Entretanto foi com Karl Marx, Émile Durkheim e Max Weber que a Sociologia se desenvolveu de fato, sendo sistematizada e constituída em seus princípios.

Para que serve sociologia

Entenda o que é sociologia

A sociologia surgiu como uma exigência histórica para a compreensão de fenômenos sociais que estavam acontecendo na Europa por volta do século XVIII. A queda das monarquias e a formação dos Estados Nacionais, a Revolução francesa em 1789 e a Revolução Industrial, por exemplo. Todos estes acontecimentos contribuíram para a urgência de um pensamento que buscasse entender esse fenômenos em suas raízes sociais, compreender as estruturas e organizações dos velhos sistemas, assim como dos novos que estavam despontando na história.

O método principal de análise da sociologia é a observação de fatos repetitivos e recorrentes nas relações sociais para a elaboração de leis gerais que captem e expliquem esses fenômenos. Mas a sociologia lida também com eventos únicos da história, como o surgimento do capitalismo ou do Estado moderno, e assim procura entender esse fenômeno em sua singularidade, explicitando suas estruturas e as implicações destas nas vidas dos homens em sociedade.

Como a sociologia tem por objeto a sociedade, mas a sociedade não é um todo coeso e homogêneo, ela é uma ciência rica e complexa, que se atém para as estruturas e atores sociais constitutivos da sociedade, como grupos étnicos (indígenas, negros, ribeirinhos etc.), classes sociais (de trabalhadores, desempregados, empresários, políticos, etc.), questões de gênero (homem, mulher, criança), violência (urbana, rural, trânsito, corrupção, etc.), e instituições sociais como família, Estado, escola, mídia e religião, por exemplo. O estudo da sociologia é importante para a prática de intervenção social e implantação de medidas de cunho transformador, pois somente compreendendo como a sociedade se estrutura, se agrega e mantém seus laços, é que tais medidas se tornam mais eficazes e garantem sua legitimidade. A sociologia visa a consciência social da própria sociedade a respeito de si mesma, o que é pressuposto para qualquer tipo busca por mudança e  transformação.